logistica 4.0 Integração Sistemas EBInterchange

Logística 4.0 – Evolução do sistema logístico

O conceito de Indústria 4.0 já é conhecido por muitas pessoas. Porém, o termo Logística 4.0 ainda não é tão difundido assim. Em ambos os casos, estamos falando de novas tecnologias e recursos voltados sobretudo para o ganho de eficiência, agilidade e redução de custos.

O que é a logística 4.0?

Em um modelo tradicional da Indústria, a produção é feita em grande escala, com grandes quantidades de produtos. Dessa forma, acumula estoques, mantendo os itens disponíveis para cumprir com a demanda sem correr o risco de faltas.

A medida que a tecnologia e os sistemas de produção avançam, pode-se focar na exigência do cliente, produzir bens personalizados e fabricar apenas o necessário para a comercialização em um curto período de tempo.

Para tornar isso possível, é preciso que toda a cadeia de suprimentos tenha o mesmo pensamento, mantendo assim necessidades alinhadas. Dessa forma, diminui-se o consumo de matéria-prima e produtos acabados, restringe-se os níveis de estoque, aumenta-se a agilidade dos processos e se otimiza os processos de entregas.

Como consequência, as empresas passam a não depender mais de grandes centros de distribuição. Dessa forma toda a supply chain ganha em eficiência, qualidade e diminuição dos prazos. É aí que entra o conceito da Logística 4.0, necessário para que as empresas possam se tornar mais competitivas.

A Logística 4.0 pode ser definida como uma evolução da logística tradicional. Como premissa básica está a necessidade de investimento em tecnologia para conseguir aumentar a eficiência e reduzir gastos.

O foco é usar a tecnologia como a maior aliada do crescimento organizacional. Assim, a tendência é a de que os processos sejam automatizados, contribuindo para o aumento da produtividade e o ganho de eficiência nas operações.

Assim, torna-se toda a operação conectada, desde máquinas e transportadoras até os colaboradores. O foco sempre está em manter uma logística mais rápida, conectada e inteligente.

Redução de perdas

Torna-se mais fácil conhecer os produtos em tempo hábil, e portanto elaborar uma solução mais efetiva. Além disso, também se consegue promover a redução de perdas nos estoques, a necessidade de retrabalho, problemas com avarias e extravios, entre outros problemas que podem comprometer a produtividade, os custos e os resultados.

Melhora na análise de dados

O investimento em tecnologia ajuda a potencializar os resultados à medida que se utiliza sistemas integrados para realizar as análises. Essas soluções tem como resultado o fornecimento de insights para a otimização dos processos e a criação de estratégias mais eficazes.

Maior foco na estratégia de negócios

O foco na Logística 4.0 é voltado para a estratégia organizacional. Os objetivos estão sempre relacionados a aprimorar e modernizar a gestão, eliminar (ou minimizar) gargalos e desperdícios, otimizar o tempo e reduzir os custos sem comprometer a qualidade.

Para isso, promove-se grande conectividade entre os processos, monitorando os fluxos de trabalho com precisão e mantendo as informações acessíveis e sempre atualizadas.

Industria-4-EBInterchange

Indústria 4.0: A integração de sistemas é o caminho

A Indústria 4.0 se expande e muitas empresas estão construindo suas plantas com o uso de sensores, big data, assim como inteligência artificial.

Estas companhias estão enfrentando o desafio de aproveitar a velocidade e agilidade das novas tecnologias, especialmente em automação de processos. Infelizmente, muitas estão sobrecarregadas por infraestruturas legadas pesadas e não conseguem impulsionar facilmente as mudanças.

O resultado final é que certamente o ROI positivo virá rapidamente para aqueles capazes de adotar a Indústria 4.0.

Desse modo, apontamos a integração de dados como um facilitador de processo na implementação de projeto de Indústria 4.0.

Construindo a infraestrutura certa

De acordo com um estudo da Consultoria Deloitte, “Para se preparar para a velocidade exponencial de mudanças introduzida pela Indústria 4.0, qualquer fabricante de sistemas de TI antigo precisará principalmente de atualização”.

Além disso, se os sistemas que gerenciam cada fase da fabricação estiverem separados, a gestão precisará integrar os sistemas ERP, MES (sistemas focados no gerenciamento das atividades de produção e que estabelecem uma ligação direta entre o planejamento e o chão de fábrica ) e PLM (processo de gerenciamento completo do ciclo de vida de um produto, desde a sua concepção, passando pelo desenvolvimento e manufatura, até a sua entrada em serviço operacional) para que os fabricantes possam obter insights importantes para maximizar sua produtividade.

Cada sistema com sua função

Cada sistema contém dados essenciais para maximizar a eficiência e a qualidade da fabricação. O ERP tem como função gerenciar os negócios de fabricação de produtos, o sistema de execução de manufatura (MES) controla o próprio processo de produção e o gerenciamento do ciclo de vida do produto (PLM) e rastreia o projeto dos produtos que estão sendo produzidos. Quando os dados são integrados, novas eficiências podem ser então, introduzidas no chão de fábrica e no back office.

Juntando as peças

O MES pode compartilhar a quantidade exata de produtos que foram produzidos. Além disso, ele pode excluir o total de itens defeituosos ou rejeitados e devolvidos ao sistema ERP, a fim de fornecer dados de inventário em tempo real durante o processamento de pedidos. O sistema ERP fornece informações sobre pedidos futuros, possibilitando ao chão-de-fábrica ser mais rápido.

Para melhorar a qualidade do produto e acelerar o tempo de produção, as informações de projeto do produto podem ser alimentadas diretamente do sistema PLM para o MES, incluindo uma lista dos todos os componentes, montagens e submontagens de um produto (BOM – Bill Of Material), que pode substituir processos manuais exaustivos na linha de produção.

A sincronização entre os sistemas PLM e MES permite um alto nível de personalização com base nas especificações do cliente.

A integração não precisa ser limitada ao chão de fábrica ou ao back office. Compartilhar informações com fornecedores, melhora a previsão de demanda e melhora o controle de estoque para melhor gerenciamento de materiais. Uma logística eficiente reduz custos e acelera a entrega de produtos, melhorando o resultado final e satisfação do cliente. O resultado final é uma lacuna menor entre o projeto do produto e a entrega, o que beneficia a todos.